oie_transparent (10)

Fique à vontade, sinta-se em casa com a 

Rádio Web Feito Em Casa

A rádio com a programação mais diversificada da web!

oie_transparent (10)
Crenças limitantes

Segundo a Psicologia e a Psicanálise, temos a mente consciente e a mente inconsciente. A mente consciente é a nossa porta de comunicação com o mundo, enquanto a mente inconsciente é a nossa gaveta de memórias.

 

Enquanto o nosso consciente faz análise, faz juízo de valor, questiona, o inconsciente apenas armazena. Armazena tudo que vivemos, tudo que experienciamos, absolutamente tudo. Por isso, a hipnose é usada para buscar ali algo do qual não nos lembramos, mas que gravou em nós sensações ou dores emocionais que precisam ser trabalhadas.

 

O inconsciente é uma esponja, ele apenas retém, sem fazer qualquer julgamento ou analise. Isso significa que ele não distingue o que é mentira e o que verdade. Por exemplo, feche os olhos e imagine que está chupando um limão. Normalmente, sentimos um incômodo na glândula salivar, o que não deveria acontecer, já que não sentimos o gosto do limão. É que, ao imaginarmos, o inconsciente trouxe a lembrança de como sentimos o sabor do limão e nosso corpo respondeu a isso. Uma mentira, já que não degustamos o limão, que virou verdade, já que nosso corpo respondeu como se tivéssemos chupado o limão.

 

Agora imagine isso em relação a tudo que vivemos. Qualquer comando que damos ao inconsciente, ele simplesmente acata. E, por comando, entenda, qualquer sugestão verbal ou mental. No caso do limão, a sugestão verbal “imagine que está chupando um limão” gerou um comando mental de estar realizando aquilo.

 

Então, imagine quando você diz a seu filho que ele nunca vai dar certo na vida. O inconsciente dele grava isso como verdade absoluta e ele nunca vai dar certo na vida. Como falei, nosso inconsciente retém as memórias, fazendo aflorar aquilo ao receber determinados comandos, nos dando uma direção, um norte, nos fornecendo elementos para a tomada de decisões. Lá na frente, quando esse filho começar na vida profissional, na primeira dificuldade, ele vai desistir, porque o inconsciente dele vai se lembrar que ele nunca vai dar certo na vida. Então é natural que ele encontre barreiras. Ali é o fim do caminho.

 

De outro lado, se você sempre mostrou a seus filhos que as barreiras são transponíveis, podem ser superadas, que somos capazes de alcançar o que sonhamos, ao primeiro sinal de dificuldade, o inconsciente desse menino vai berrar “não para, não! Segue em frente! Você pode!” E esse rapaz não vai ter aquele desejo inconsciente de desistir.

 

Assim, seguimos pela vida, desde que nascemos, e nosso inconsciente vai guardando tudo que recebemos das pessoas, tudo que interpretamos das situações e aquilo vai virando verdade absoluta sem que possamos perceber. A questão é que essas verdades vão marcando nossos comportamentos, nossas emoções e consequentemente todas as nossas relações e as maneiras como lidamos com as situações. Em alguns casos, essas verdades são positivas e nos impulsionam a boas decisões. Em outros, são negativas e nos limitam, dificultando ou mesmo impedindo que alcancemos algo.

 

Essas verdades negativas absorvidas pelo inconsciente são o que chamamos de crenças limitantes, as maiores sabotadoras que possuímos.

 

Todas as nossas percepções de mundo, as interpretações que fazemos, as decisões que tomamos são baseadas em nosso mapa mental e esse mapa é a programação que ocorre ao longo da nossa vida, conforme vamos elaborando essas verdades absolutas em nosso inconsciente. Se nessa programação mental há crenças limitantes, teremos um maior grau de dificuldade para alcançar a realização em todos os aspectos da vida.

 

Quando a mulher diz que tem dedo podre para homens, ou seja, que só se atrai por canalhas, seu inconsciente chamará sua atenção para todos os homens canalhas que ela encontrar pela vida.

 

Preste atenção nestas crenças limitantes que sempre ouvimos e que repetimos:

 

- você não faz nada direito

- você nunca vai conseguir ninguém

- seu irmão é melhor

- dinheiro não traz felicidade

- é mais fácil um camelo passar pelo Buraco da Agulha que um rico entrar no Reino dos Céus

- Não é possível viver do que se ama

 

Acontece também de nós mesmos repetirmos e reforçarmos nossas crenças limitantes:

– Não levo jeito pra fazer isso

– Sou muito velho pra isso

– Não sei tudo o que preciso

– Não tenho tempo

– Não consigo fazer isso

– Não consigo aprender tal coisa

– Vou ser pobre para sempre

– Nunca vou conseguir dinheiro suficiente

– Não tenho dinheiro pra nada

– É impossível me organizar

– A culpa não é minha que as coisas só deem errado

– Eu não mereço sucesso

– Eu não mereço coisas boas

– Meus sonhos são impossíveis de serem alcançados

– Nunca vou conseguir alcançar meus objetivos

– Não consigo resolver esse problema

 

Não apenas o que ouvimos se tornam crenças limitantes, mas também situações que observamos e sobre as quais não fazemos a interpretação adequada, como situações de traição, brigas por dinheiro, excesso ou ausência de regras, relação com comida e com o corpo, injustiças e outros.

 

Importante lembrar que quanto mais vivenciamos experiências ruins mais criamos imagens mentais negativas sobre nós e os outros e, consequentemente, desenvolvemos inúmeras crenças limitantes.

 

Mas, como fugir disso?

 

Bom, quando a crença limitante já está instalada, ou seja, sempre que esses pensamentos vierem à sua mente, exercite o pensamento contrário, focando em algo positivo.

 

“Eu tenho dedo podre para homens. Opa, não, na verdade tenho muita sorte em poder aprender com todos os relacionamentos que tive o que vai me favorecer quando enfim encontrar um cara legal.”

 

“Nunca vou conseguir alcançar o patamar x. Quer dizer, na verdade só não conseguirei se continuar pensando assim, afinal, com persistência e vontade, posso alcançar tudo que eu quiser.”

 

Agora, se percebe que outra pessoa diz algo que pode se tornar uma crença limitante para você, mande à merda. Ou, se observar que não é o caso, que a pessoa não fez por mal, diga para si mesmo: “Oh, dó, não sabe do que sou capaz, da força que tenho e do meu poder de realização”. Ou diga para ela que ela não te conhece como pensa e que você irá surpreendê-la.

 

A questão é não acatar o que o outro diz sem rebater, é não absorver aquelas palavras, não deixando seu inconsciente aceita-las como verdade absoluta. É encarar as situações ruins, pensando: “tá, foi foda, mas o que eu aprendi? Do que estou me livrando? Como posso fazer disso um degrau de crescimento”.

 

E vale lembrar dos vitimistas, dos hipocondríacos, de todos que transformam em verdades situações imaginárias negativas e vivem uma vida tão menor do que efetivamente poderia ser.

 

É isso! Tenha sempre em mente que o seu inconsciente vai trabalhar na direção em que estão seus pensamentos, de acordo com as verdades nas quais você acredita. Sabendo disso, tenho certeza que saberá tomar as melhores decisões.

  

********************************************************

Gostou do texto? Deixe seu comentário, é importante para a autora.

 

Adriana Fernandes é autora do texto e apresentadora do Programa NOTICIANDO, que vai ao ar toda sexta-feira, com notícias comentadas, sem reservas, e dicas de Programação Neurolinguística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Math Captcha
9 + 1 =